Moçambique

TV, viagens, 21 Setembro, 2019

A viagem mistério ,d’O Programa da Cristina em parceria com a TUI Portugal, desta vez, estava reservada para a Maria Sampaio. Quando aceitou o desafio não sabia qual o destino que a aguardava. Tudo foi uma aventura e uma nova experiência. Começou com a surpresa do voo em classe executiva com a simpatia e excelência da Taag.

Chegou a Maputo de madrugada. Dormiu poucas horas para ir ver o Papa Francisco. Depois da paz, veio a selva. A Maria e a equipa rumaram até África do Sul para visitarem o Kruger Park. Ficaram no Shinshangeni Lodge, uma reserva privada perto da entrada de Crocodile Bridge. A entrada mais próxima da fronteira com Maputo. Viram animais maravilhoso no seu habitat natural: elefantes, girafas, rinocerontes, hipopótamos e leões.

De volta a Maputo visitaram a Feira de Artesanato da cidade. A Estação de Caminhos de Ferro de 1920, considerada uma das dez mais bonitas do mundo. A praça  principal onde está a estátua do Primeiro Presidente de Moçambique. A Casa Elefante, que é a casa mais antiga onde se vendem capulanas.

Depois de um dia repleto de passeios, jantaram no South Beach, o primeiro beach club em Maputo, que tem o conceito de ser restaurante e bar de praia aberto até às 4h da manhã. Dormiram no Hotel Avenida.

Na manhã seguinte, o destino que se seguiu foi Inhambane. Chamada a terra de “boa gente”. Curioso. Foi Vasco da Gama que deu nome à terra e que a apelidou de “Boa Gente”. Quando Vasco da Gama lá chegou, pela primeira vez, já era noite e estava um grande temporal. Os locais no seu dialeto disseram-lhe para vir para junto deles e proteger-se da tempestade. O navegador não conseguiu decifrar o dialeto e a única coisa que percebeu foi “Inhambane”. E foi assim que aquele pedaço de terra passou a chamar-se Inhambane.

Após 7 horas de caminho, chegaram ao Sentidos Beach Retreat, na Praia da Barra. O resort de uma portuguesa. Nesse resort, o chef do restaurante Paladares também era português. Vítor Turiel. Deixou a sua vida estável em Portugal para se aventurar no desconhecido. Pelo desafio e pela admiração pelo povo moçambicano.

Passearam de moto4. Visitaram uma escola local onde 850 crianças estudam, sem condições. Visitaram uma fábrica de coco, onde descobriram que é preciso 25 cocos para se conseguir 1,5l de óleo.

Após dois dias em Inhambane, voaram para Vilankulos com o apoio das LAM (Linhas Aéreas de Moçambique) e apanharam um barco para o Anantara Bazaruto, em Bazaruto. Um arquipélago com cinco ilhas, sendo só duas delas habitadas. Contemplaram o nascer do sol sobre as dunas. Visitaram uma ilha que não é habitada, a ilha de Santa Carolina, onde fizeram snorkeling no mar azul turquesa. E foram surpreendidos pelos funcionários do hotel com um churrasco na praia.

Passados dois dias voltaram para Maputo. Ao final da tarde, foram ver o pôr do sol, com vista para a baía de Maputo, no restaurante Dhow.

Jantaram no restaurante do Hotel Montebelo, onde pernoitaram. Na manhã seguinte foram conhecer um pouco mais a cidade de Maputo. Maputo está a tornar-se uma cidade moderna, apesar de manter os traços típicos e as tradições.
A Maria e a equipa almoçaram no Mood, onde provaram os sabores do Chef Carlos Graça. Comida tipicamente moçambicana. Matapa e marisco. Um moçambicano que trabalha num restaurante de uma portuguesa. Ainda no restaurante Neyma apareceu de surpresa à Maria. É considerada a Diva da Marrabenta, uma dança típica de Moçambique, e também é das cantoras mais conhecidas que canta este género musical, a Marrabenta. Acabaram as duas a dançar.

Depois de almoço foram para o aeroporto para voarem para Luanda, onde iriam fazer escala de 4 horas, para voltarem para Portugal. Mas o inesperado aconteceu. Havia a possibilidade da Maria reencontrar-se com o irmão e conhecer os sobrinhos gémeos, que ainda não conhecia. A Taag soube dessa possibilidade e disponibilizou-se para agilizar todo o processo para que o reencontro fosse possível. E como a vida é feita de surpresas, os irmãos reencontraram-se. A Maria ficou em Luanda mais uns dias, para matar as saudades da família e o resto da equipa voltou para Portugal.

Conseguiram aguentar o ritmo desta viagem? Numa semana, com tanto que fizeram, será que dormiram mesmo? 😂

O que fica agora são as memórias boas para partilhar com quem cá ficou. Moçambique é uma terra com pessoas encantadoras, de sorriso fácil. Pessoas que ficam no coração de quem tem a sorte de visitar esta linda terra. Uma terra surpreendente.

E esta aventura por terras africanas foi muito mais que uma viagem para a Maria. E isso deixa-me feliz.❤

 

  • Comentários

    Artigos relacionados