Sem erros

CRISTINA, 5 Julho, 2019

Estou diariamente à vista durante três horas. Um olhar, uma palavra, uma entoação, uma pergunta. Tudo passa para o lado de lá. Fazer bem, todos os dias, é impossível. Porque eu não estou. O convidado não está. O câmara não está. A televisão ainda é de carne e osso. Porque tem gente dentro. Tento fazer o melhor todos os dias. As audiências são números. Mas números que dizem das pessoas. Dos que quiseram ver. Dos que ligaram o televisor e deixaram estar. Dos que põem para trás. Dos que saem a correr do trabalho para ver o programa. Dos que vêem no trabalho. Quando os tocas, fizeste televisão. Estou a ver o Diogo no seu papel de padre na série Golpe de Sorte. Estou a vê-lo depois de o abraçar. E esta noite não me conseguiu enganar. Nunca consegui ver o padre. Porque o Diogo de ontem sobrepõe-se ao papel. Ficará por aqui muito tempo. Pediu desculpa e disse obrigado. Duas palavras cheias de força. Ontem disseram-me em muitas mensagens que passaram a gostar ainda mais um bocadinho de mim. Porque também não me viram num papel. Não o tenho. Desde o primeiro dia. Tenho dias piores e melhores. Mas estou todos os dias Cristina. Com os meus erros e as minhas fragilidades. Mas também com a força de vos sentir ali. Não imaginam como vos sinto em casa. Quando pego ao colo um convidado são vocês que me ajudam a levantá-lo.

  • Comentários

    Artigos relacionados