Noites quentes

fashion, 19 Junho, 2018

Ontem, estava daquelas noites à antiga. Sem vento, quente, a apetecer estar na rua. Lembro-me de muitas noites assim, em pequena. A nespereira que emoldura a casa da minha mãe servia-nos de companhia. E ali ficávamos, mãe, pai e tios. Ao som das estrelas e das conversas que se alinhavam. Tudo era sossegado. Foram estes momentos que me construíram. E havia lugares fixos. O do meu tio Manuel era o degrau maior do fim das escadas. Com a sua boina, mesmo sem sol, que lhe acrescentava ruralidade. Acho que sou muito parecida com ele. Ontem, tive saudades. Mas olhei para as estrelas. E havia uma mais brilhante.

 

  • Comentários