A casa do Goucha

CRISTINA Mag, 7 Setembro, 2016

19

20160716_Capa_Goucha_JS-817920160716_Capa_Goucha_JS-705520160716_Capa_Goucha_JS-732120160716_Capa_Goucha_JS-758220160716_Capa_Goucha_JS-763120160716_Capa_Goucha_JS-8251

” E chegou o dia. Para quem acompanha o VOCÊ NA TV! diariamente, esta é talvez a capa mais aguardada. O mês de Setembro é o mês do Goucha, ou melhor, é o mês do meu companheiro de há 12 anos. Estamos juntos oito horas por dia. Somos mais do que colegas. Sei-lhe os gostos, as manhas, as alegrias, as tristezas, os sonhos e também lhe conheço alguns segredos. Mas não sabia tudo. Eu nunca tinha ido a casa dele. Respeitando essa sua reserva, senti sempre que o momento chegaria e seria especial. Tão especial que o partilhamos agora com os leitores da CRISTINA.

Finalmente na casa do Goucha. O dia foi um dos mais quentes, do já aquecido Alentejo. Fui a uma sexta. No meio do nada avistei os traços azuis de uma casa que já conhecia de fotografias. Era ali o lugar do sonho. Liguei-lhe para avisar da minha chegada. Minutos depois vejo-o a descer, na estrada de terra batida, de máquina fotográfica na mão, de calções e polo azul, numa moto-quatro conduzida pelo Rui. Trazia um sorriso no rosto. Confesso agora que não me esquecerei daquela imagem. O Goucha ia abrir-me os portões da sua casa.

Fomos crianças ali. E amigos de uma vida, na conversa que tivemos no dia seguinte e que vai poder ler nesta edição. Esta era a entrevista mais difícil. O que se pergunta a alguém de quem se gosta tanto e de quem se sabe quase tudo? O que é que não se pergunta a alguém que não se quer magoar? No momento, os nervos tomaram conta de mim. Sentados numa cama de jardim fomos um do outro. Fiz perguntas que sei difíceis e que, talvez, ninguém esperasse que fizesse. Mas fiz. Como também sabia que o meu Manel sabia que esta não seria uma conversa fácil. Estava preparado. Ou não. Quando o vi desmanchar-se num choro que não esperava, quis abraçá-lo. Foi um momento tão especial. Senti que nos unimos ainda mais. Que a vida nos entregou um ao outro num dia feliz.

Esta edição não é um programa da manhã, não tem dois apresentadores, tem duas pessoas que se gostam. Que se respeitam. E desculpem não falar de mais nenhum tema desta edição. Mas caramba, eu estive na casa do Goucha!”

  • Comentários

    Artigos relacionados