A Sorte Grande

CRISTINA, 17 Dezembro, 2017

Habituei-me desde miúda a ver os cauteleiros, na feira da Malveira, a darem a Sorte Grande e a terminação. Às vezes, também o meu pai comprava uma fracção com os números da sua sorte. E havia uma que a mais especial de todas. A do Natal. Essa era a tradição quase de toda a gente que, amaciada pela época festiva, esperava mudar a vida com uma hora feliz. E lá vinha o som no dia certo, de homens e mulheres alinhados que à vez iam dizendo os números a cantar. Essas memórias estão todas lá atrás, mas o que é certo é que a Lotaria do Natal continua a ser especial. E este ano ainda mais. A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa vai dar integralmente a sua parte da receita dos Jogos para ajudar as vítimas dos incêndios. Vamos cantar a sorte destas famílias.

  • Comentários

    Artigos relacionados